Dando o melhor de si

É uma maneira muito fácil para nós mesmos (ou alguém de fora) dizer. “Ei, você fez o seu melhor.”

Mas isso não funciona quando se tenta explicar a melhora em uma corrida de 100 metros, por exemplo. Ou de como somos capazes de, alguma forma, convocar nossa energia interior e inspiração quando há muito em jogo. Ou de explicar até mesmo o grande cuidado que temos com alguém que necessita.

Ao definir “o nosso melhor” como algo que fazemos simplesmente através do esforço, temo que nós estejamos tirando o foco de nós mesmos.

Na verdade, não se pode exigir um grande esforço, mas uma pequena quantidade do mesmo, uma quantidade razoável de preparação e um pouquinho de foco… e, mesmo assim, ainda tem algo para dar.

É perfeitamente possível que não valha a pena ter o compromisso, o risco ou o medo de ir tão longe na criação de algo que é realmente o nosso melhor. Mas, quando assumimos esse compromisso, devemos agarrá-lo. “Não vale a pena fazer o meu melhor” é, na verdade, mais honesto do que falhar dizendo que está focado.

Seth Godin

Fonte: Seth’s Blog

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *